Categoria: Celebridades

Tô de Olho: Mais uma vez… Madrinha de Casamento

14 agosto, 2015

E então é chegado o grande dia. Um buquê de peônias que com certeza será desidratado horas mais tarde para ser guardado de recordação, um guapo no altar que não consegue se conter, uma lista seleta de convidados e um Elie Saab poderosíssimo que acabou dando um pé na bunda daquele Vera Wang que não favorecia.

Poderia ser o seu casamento, mas não é, amiga. Então trate de conter as lágrimas, porque a sua vez ainda não chegou. “O que eu estou fazendo aqui?”, se a duvida for eminente e eu creio que será, a resposta é clara: Você foi intimada para ser madrinha de casamento.

Se anda difícil até para casal fitness, imagina para você que desistiu do Herbalife, mas não consegue nem manter o detox. Por isso pega a prancheta e preste muita atenção, porque o jeito é fazer um trabalho árduo e se realizar nas amigas.

Ok, aqui no Tô de Olho não te julgamos. Cá entre nós, também teríamos a mesma reação se soubéssemos que até nossa amiga mais “zoada” arrumou um boy para chamar de seu.

Stay strong! Antes de mais nada é sempre bom lembrar que não existe uma fórmula certa para fazerem as coisas acontecerem. A não ser que seja a Cris Dios do Laces, é como cabeleireiro, não é porque é bom pra sua amiga, que vai funcionar com você.

Você nunca estará sozinha em uma missão como essa, por isso é sempre bom ter alguém que vai te ajudar a fazer a coisa certa quando o cinto apertar. Partners in crime!

Se você estiver no seu inferno astral, crises podem acontecer durante o processo, assim como a formação do tenso aspecto entre a quadratura de Saturno, Urano, Netuno e Plutão. Acredite, sinais de estresse poderão se tornar corriqueiros.

Você tenderá a encontrar alguma forma de aliviar essa tensão acumulada.

Só não garantimos que essa será a melhor forma.

E se você ainda achava que as coisas não poderiam piorar.

Não podemos dispensar a hipótese de ser deposta da sua função, ainda que por alguns míseros instantes.

Sempre haverá divergências entre você e sua amiga, noiva.

Mas nada que uma conversa franca não resolva. Sempre bom colocar os pingos nos Is. Aqui na coluna acreditamos em um propósito maior.

Nesse momento de fragilidade de ambos os lados, você também aproveitará para se expor.

E claro, que não vai perder a oportunidade de se sobressair, ainda que só um pouco. Caso contrário, não seria você, né miga?

Depois de uma palavra de conforto e um ombro amigo

A máxima contemporânea “aceita que dói menos”, jamais terá feito até então tanto sentido.

Juntas, vocês acabarão encontrando uma boa alternativa para qualquer problema que possa aparecer pelo meio do caminho.

E quando tudo estiver acabado e a sensação for de dever cumprido, descobrirá que não vê a hora de poder vivenciar tudo isso, novamente.

Afinal, o importante é se divertir.

Xo,

Marcinho.

 

 

Talvez não tenha sido tão por engano assim…

31 julho, 2015

Era 28 de Outubro de 1949, e o mundo nem imaginava que conquistava mais uma medalha, estimada em grande valor, para o seu acervo, que mais tarde lhe renderia tantas outras, pelo menos para os patriotas americanos.

Batizada como Bruce Jenner, não! Não há problema de concordância nessa frase. Talvez o único e maior problema fosse para a Bebê Jenner saber que além do corpo que lhe foi dado por engano (ou talvez não!), seu verdadeiro nome, Caitlyn Jenner, só poderia ser adotado sessenta anos mais tarde.

Mas ainda assim, “o” Pequeno Bruce, se adequou ao meio, em uma sociedade onde o termo identidade de gênero poderia ser facilmente confundido com alguma patologia vinculada apenas aos gays, fazendo jus a ideia de seleção natural, onde só os mais fortes sobrevivem.

Bruce precisava provar desde ainda guapo, que já era um campeão. É que o rapaz nunca gostou do anonimato. Possivelmente soubesse, ainda que bem lá no fundo, que décadas mais tarde, faria parte de uma das maiores atrações já promovidas por um canal de televisão, ao lado das suas e das filhas da sua futura esposa, Kris Jenner.

Em uma das milhares de histórias que começaram a pipocar na internet nos últimos meses é fácil achar a que confirma nossa tese. Como quando Bruce se encontrou com o colega e jornalista Barry McDermott para uma partida de tênis em NYC e depois de receber e ignorar a sugestão de Barry para que usassem o seu clube privado, o Central Park foi o local escolhido para mostrar porque um ano atrás teria quebrado um recorde mundial e ganho a medalha de ouro de decatlo nos Jogos Olímpicos de Montreal de 1976.

O resultado da ousadia? Milhares de fãs e curiosos, que mais tarde fariam público, alguns até muito fiéis ao circo bem humorado e so fancy promovido pelas enteadas Kardashian. Mas sabe quando você finalmente consegue o que tanto quer e ainda sim sente uma lacuna a ser preenchida?

Talvez essa certamente fosse a sensação que se passasse dentro do já adulto, ex-medalhista famoso e agora pai de família Bruce Jenner. A lacuna tinha o mesmo sobrenome, mas atendia por Caitlyn. Lembram-se dela? Seria mais fácil acreditar que ela estava adormecida ou pelo menos dopada pelo medo ou insegurança de se mostrar. Mas sabe a máxima “por trás de um grande homem, sempre há uma grande mulher”, talvez nunca tenha feito tanto sentido.

E como é melhor pecar por excesso, aí vai outra. “Dai a César o que é de César”. Madeixas escandalosamente bem tratadas, debut na capa da Vanity Fair, homenagem especial no ESPYs Awards 2015 a bordo de um Versace exclusivérrimo, seguido por um discurso capaz fazer qualquer marmanjo incitador de ódio cair por terra, o respeito do clã Kardashian-Jenner , do presidente Obama e agora um programa para chamar de seu no E!… Ufa! É a coisa está mesmo “braba” para a família tradicional de plantão.

Mas sabe aquele papo de corpo que foi dado por engano lá em cima? Realmente começo a acreditar, que não tenha sido tão por engano assim.

Xo,

Marcinho

Lucky Ladies Tour

10 julho, 2015

Não precisamos de mais que um programa de estreia, disponibilizado no YouTube, para cair de amores pelo shake com algumas das melhores iguarias tupiniquins, que a emissora FoxLife resolveu produzir.

Lucky Ladies, que já acontecia na gringa, com atuais e ex-esposas de cantores e jogadores de futebol, teve sua versão adaptada para o Brasil com uma realidade não tão menos polêmica, mas com muito mais a nossa cara, pela musa que dá verdadeiro nome e sobre-nome ao reality: Tati Quebra-Barraco.

Tati comanda o programa e as cinco meninas selecionadas a dedo, tanto por ela quanto pelo produtor musical Rafael Ramos. E se você agora procura um motivo a mais para essa união mais do que inusitada, bem, usamos as palavras da mentora do programa em uma coletiva para imprensa, como sendo nossas. “Fizemos esse reality com o intuito de unir as funkeiras, porque os homens são unidos mas a gente não”.

Sempre bom lembrar!

AS PARTICIPANTES

Mc Sabrina leva para o apartamento, onde as garotas ficam “confinadas”, ares de garota descolada e mente aberta, que por isso precisou conciliar a vida no funk com a família na igreja. Definitivamente, uma das partes mais emocionantes do programa. Por quê já amamos? A amapô já gravou um clipe com a Thammy Gretchen!

Karol Ka, típica figurinha carimbada de reality que amamos odiar, seja pela voz na hora de conversar ou pelo excesso de frescuras. Todavia é injusto não reconhecer que a bela, que já participou da versão brasileira de High School Musical (Alguém se lembrava dessa versão?) e teve a fase como backing vocal do cantor Latino, como ponto de destaque na carreira, não mereça estar ali.

Mary Silvestre é ex-Miss e já atuou no meio artístico como uma das coleguinhas do Caldeirão do Huck. A gente ama, porque por causa dela o ex-ator pornô e ex-Marc Jacobs, Harry Louis, que é amigo da moça, deu o ar da graça no programa. Mary compartilha do mesmo sentimento, que nós, de que o funk atravessa as barreiras do morro e pode ser feito genuinamente por alguém que não viva a realidade das favelas. Arrasou quando foi intimada a cantar a capela ainda no segundo episódio.

Mulher Filé de todas as beldades é aquela a qual estamos mais familiarizados por estar sempre em evidência na grande mídia. Sim, aquela mídia que você diz que não assiste e nem acessa, mas não vive sem. A nossa bombshell ficou conhecida por usar o derrière para “engolir” celulares e ainda acumula no curriculum uma passagem pela Fazenda. Sem medo de usar o sex appeal aflorado, que às vezes é um pouco exagerado até para a própria mãe da garota, Filé se tornou uma máquina de fazer dinheiro e atrair olhares dos marmanjos por onde passa.

E se a cereja é o toque final para qualquer bolo que se preze, esqueça o sem glúten, sem lactose e todos os sem graças possíveis, nós temos aqui a mais saborosa de todas. MC Carol é praticamente uma bomba de auto-estima capaz de deixar qualquer uma no chinelo e seria a grande vencedora da edição, se esta tivesse eliminatórias. Se pudéssemos, faríamos um colar preciosíssimo com todas as suas pérolas. Uma mulher que consegue fazer com que o boy que a mantinha presa dentro de casa por ciúmes, hoje lhe leve até café na cama, merece ter seus ensinamentos seguidos como mantra de vida.

 

Gostou? Não tínhamos dúvidas quanto a isso. Sendo assim, como grande prestadores de serviços que somos aqui no Vitrine, disponibilizamos os links dos quatro primeiros episódios da saga. Adeus vida social!

EP 1 = https://goo.gl/ZiqbZT
EP 2 = http://goo.gl/VqnSeK
EP 3 = http://goo.gl/borkgj
EP 4 = http://goo.gl/O7Pvdg
EP 5 = http://goo.gl/b6jBTK

Xo,

Marcinho.

 

 

Tô de Olho Especial Billboard Awards

18 maio, 2015

Como premiação é palavra de ordem aqui no Vitrine, aproveitar o restinho de domingo na frente da TV (ou do live stream!), pra garantir aquele Tô de Olho Especial Billboard, é mais do que mera obrigação. E desta vez, o bloquinho de anotações habituée, para não deixar passar qualquer detalhe, foi indispensável para o colunista que vos escreve.

É que em meio a tanto lacre, expectativa, emoção… Mentira! Só ficamos mesmo com medo de não sabermos lidar com as caretas hilárias da Britney (Neyde, para os íntimos, por favor!), que, aliás, só a própria sabe fazer. Então, bora pegar uma carona com a gente, pra (re)conferir e amar um pouco mais tudo o que rolou de mais importante na premiação, de ontem à noite. Check it out!

1.Kylie Jenner está cada vez mais poderosíssima. A amapô está deixando cada vez mais para trás o ar de boa moça e está se transformando em um baita mulherão. Aliás os créditos da bela só aumentaram ao sabermos como não só ela, mas todas as Kardashian – Jenner tem apoiado o ex-patriarca Bruce Jenner, nesse momento tão importante da vida dele. You rock, babe! #somostodosBruce

❤️

Um vídeo publicado por Kylizzle (@kyliejenner) em Mai 17, 2015 às 7:17 PDT

 

2.E se o assunto ainda é a realeza americana, partimos da premissa de que você só colhe aquilo que planta, certo? A cada aparição, Kendall consegue fazer todas as máquinas pararem e atrair todos os olhares para si. Acompanhada de Olivier Rousteing da Balmain, elas usaram frutos da parceria do estilista com a gigante H&M, que ainda será lançada em um futuro não tão distante.

3.Por mais que os meninos do One Direction não sejam fidelée aqui da coluna, nós até que simpatizamos com os rapazes. Foi estranho ver a banda desfalcada dando entrevista pela primeira vez, sem o guapíssimo do Zayn. E apesar de achar que ele era o integrante mais forte do grupo, vamos ficar torcendo para que a banda não tenha uma morte horrível e continue fazendo sucesso.

4.Do red carpet para o palco do BMA, sobre Taylor Swift estrear seu Bad Blood só conseguimos parafrasear Susana Vieira – “Não levo nada de casa, só meu corpo e meu talento.”

O vídeo com a vibe de uma mulher ressentida, com sede de vingança e ares de mega produção cinematográfica, somados a um time de guapas lacradoras,

fez com que não soubéssemos lidar até o presente momento com tamanho poder compactado em apenas quatro minutos de vídeo.

No elenco Selena Gomez e Cara Delevigne, sendo que a primeira interpreta a amiga traidora,

ou, para os bons entendedores, Katy Perry.

Para quem não sabe, Katy é a atual de John Meyer, ex-Taylor, e também foi acusada pela loira de roubar seus dançarinos no ano passado. Tá bom ou quer mais?

Se Katy vai revidar, como estão dizendo em alguns grupos,

bem não sabemos, mas se caso acontecer e for no mesmo nível de Bad Blood, só temos a dizer que quem sai ganhando somos nós.

5.About my kind of man. Você sempre diz a mesma coisa, Marcinho! Gente, ele também só canta a mesma música. (Que aliás, achamos chatérrima!) But, se você não conseguiu ter um ataque epilético com o show de luzes e efeitos psicodélicos, que o moreno nos proporcionou, com certeza o teve quando presenciou o cantor lindo como sempre no palco, ainda que com uma jaqueta de gosto um tanto quanto duvidoso.

OFF BMA: Quem estamos loucos para conferi-lo em Scream Queens, ao lado de Emma Roberts e Ariana Grande? Juro, que mais adiante, subo um post sobre!

6.Como a gente ama uma farofada, também teve Pitbull e Chris Brown (de terno vermelho!). Nada que não nos impeça de pular para o próximo tópico sem pestanejar.

7.Teve Ed Sheeran, sendo ele mesmo e puro amor. Mas espera aí, não seriam estas sinônimos? Hahaha <3

8.Confesso que nunca assisti um filme sequer da franquia Velozes e Furiosos, por motivos de achar que não é o tipo de sessão para a qual eu gostaria de fazer público. Todavia, não se emocionar com a linda homenagem de Wiz Khalifa e Charlie Puth para o ator Paul Walker, que morreu em uma acidente de carro (pasmem!), é uma missão quase que impossível. Se não bastasse o vídeo, descoberto por mim ao acaso, some a ele agora uma apresentação memorável no BMA.

9.Sem dúvida alguma, não há turnê mais esperada em solo tupiniquim do que a . Como não amar todos aqueles fãs subindo ao palco ao som de Whip It e dando um show a parte? Há um bom tempo temos comentado o quanto é gostoso assistir Nicki nas premiações e sem dúvida alguma depois de ontem, as expectativas só aumentam. A morena mal cantou The Night Is Still Young e quando vimos já estávamos balançando a cabeça ao som da parceria da rapper com David Guetta. Aliás, o vídeo da música, Hey Mama, já está no ar e só conseguimos lembrar de Priscila: A rainha do deserto com um ar de Mad Max.

10.Não somos muito fãs de Mariah, quando a pauta em questão não são músicas natalinas, mas tiramos o chapéu e reconhecemos todo o seu poder vocal. Depois de cantar e encantar com Infinity, seu mais novo single, Mariah que agora também fará residência em Las Vegas, foi aplaudida por todos os presentes. Mandou bem!

11.Agora se Mariah foi ovacionada, Britney fez definitivamente aquilo que mais sabe fazer de melhor sempre, dividir opiniões.

A expectativa do público era ver a cantora performando ao vivo o primeiro single do seu próximo trabalho, no palco da premiação, com Iggy Azalea.

 

Mas o que pudemos presenciar foi um show pré-gravado, que por mais divertido e colorido que fosse, não agradou a gregos e ainda serviu de chacota para troianos.

Com tudo em cima, ainda assim foi possível perceber o quanto Brit estava animada com tudo aquilo e como fãs assumidos, aplaudimos do nosso sofá mesmo (comendo Cheetos em homenagem a própria!) e esperamos ansiosos por mais novidades ainda este ano.

12.E por mais que já tenho sido pautada lá em cima, fechar o post com a grande vencedora da noite (some ao curriculum mais oito prêmios, queridan!) é questão de honra. Haters gonna hate!

Apesar de ultra discretos, temos a certeza de que Taylor levou a melhor estatueta pra casa.

Xo,

Marcinho.

Conheça a lista das coisas que Karl Lagerfeld mais odeia!

14 maio, 2015

karlAdoro saber curiosidades sobre celebridades ou designers que gosto. E, quem trabalha com moda sabe algumas coisas do diretor criativo da Chanel, Karl Lagerfeld. Sei que ele é super na dele e não gosta de ser ‘atormendado’ mas são coisas que escutei dizer. Escutar dele mesmo? O Glamurama fez uma matéria, mostrando tudo que saiu no blog Four Pins, que fez um trabalho minucioso o que o estilista odeia. Os responsáveis pelo blog ‘estudaram’ suas entrevistas desde 2002:

*Em junho de 2002, em entrevista para Larry King, na CNN: “Eu estava com 80 quilos, o mesmo peso que tinha aos 15 anos. Coloquei meu terno antigo Caracini e de repente parecia alguém do meu próprio passado. Eu odeio o meu próprio passado”.

*Em março de 2007 para “The New Yorker”: “Eu odiava a companhia de outras crianças. Queria ser uma pessoa adulta, para ser levado a sério. Odeio a ideia de infância”

*Em abril de 2008 para “Prestige”: “Não sou um viajante. Odeio viajar”

*Em abril de 2009 para “Interview”: “Não faço reuniões. Na Chanel não há reuniões. Na Chanel nós fazemos o que queremos, quando queremos e funciona. Na Fendi era o mesmo”

*Em março de 2010 para “Vice”: “Bem, eu odeio telefones”

*Em fevereiro de 2011 para “Savoir Flair”: “Odeio a véspera de Ano Novo! Acho terrível”

*Em fevereiro de 2011 para “Savoir Flair”. Sobre pessoas que olham para o passado em vez do futuro: “A última vez! Nunca há uma última vez! Eu odeio esse termo”

*Em agosto de 2011 para a “Vogue”: “Calça de moletom é um sinal de derrota. Você perdeu o controle da sua vida ao comprar calça de moleton”

Em março de 2012 para “Women’s Wear Daily”: Quando era criança, ele teve que comer arroz por vários dias para se recuperar de uma doença: “Eu odeio arroz. Depois do que passei, não poderia comer arroz outra vez na vida”

*Em março de 2012 para “Harper’s Bazaar”: “O que eu mais odeio é quando você tem que ficar de olho no relógio e se trocar com pressa para um jantar importante. Cada jantar é importante. Você nunca deve ficar sem um jantar, mas estou um pouco farto”

*Em setembro de 2012 para “M Magazine”: “Odeio manicures. Eu mesmo faço. Sou muito bom nisso. Não suporto alguém tocando meus dedos”

*Em setembro de 2014 para “Women’s Wear Daily”: “O que eu mais odeio na vida é selfies”

Em março de 2015 para “New York Mag” sobre a sua gata Choupette: “Ela odeia outros animais e odeia crianças”

Avengers: Age of Ultron, o Tô de Olho assistiu e amou

28 abril, 2015

Foi precisa apenas uma fila enorme para comprar as entradas, em plena segunda-feira, e um pulo constrangedor da minha cadeira, com o trailer da nova versão de Poltergeist, para saber que aquela sessão seria diferente.

Bater recordes de bilheteria e ultrapassar Velozes e Furiosos 7, que também está em cartaz, em vários lugares, foi mais fichinha para os produtores de Os Vingadores, do que me fazer querer retomar o primeiro filme da franquia e assisti-lo por inteiro, podem apostar.

Ainda assim só precisei do convite de um amigo e lá fui eu assistir a continuação da franquia. Não entender o filme era um medo e um risco, mas para aqueles que como eu assistiram a maioria dos filmes dos heróis separadamente e principalmente sabiam quem era Loki, irmão do Thor, isso bastou.

A história: Tudo estava em paz no planeta azul, a.k.a Terra, com o cedro do Loki recuperado e em poder de Tony Stark, o Homem de Ferro. Então ta aí o problema. Em poder de Tony, gente? Ainda que fosse provisoriamente até que eles entregassem para as autoridades competentes, vocês acharam mesmo, que ele não ia inventar nada mesmo com as melhores das intenções?

O objetivo do guapo era construir uma espécie de programa, com a ajuda de Bruce Banner, o Hulk, que pudesse proteger o planeta de qualquer ameaça alienígena e assim manter a paz. Fail! Ele criou Ultron e deu a deixa para que o Tô de Olho te listasse apenas bons motivos, além de assistir Chris Hemsworth como Thor, pra correr pra sessão mais próxima. Check it out!

1.  Começamos então pelo vilão Ultron. Aquele tipo de vilão poderoso que a gente ama, por acreditar até o último minuto que os fins justificam os meios. Alô Maquiavel? E que ele precisa salvar a Terra dos Vingadores, que para ele são a verdadeira ameaça e que impedem a nossa raça de continuar evoluindo. Oi? Nonsense,mas a gente amou.

2. E se o assunto é vilão, temos mais dois, pelo menos até uma certa parte do filme. É que os gêmeos Wanda, Feiticeira Escarlate e Pietro, Mercúrio, são uma espécie de mutantes incompreendidos e injustiçados pela vida. Deu um nó, né? Rs

Vamos por partes. Para quem ainda não sabia, assim como os X-MEN, mutantes, os Vingadores também fazem parte do time de heróis da Marvel. Então rola essa migração de personagens de vez em quando. Capisce?

Quem interpreta a moça com louvor é Elizabeth Olsen, que faz jus ao sobrenome e que da um show a parte. Ela é usada por Ultron para mexer com a mente dos heróis

e tem seu ápice mais pro final do longa. Ok, sem spoilers, eu sei! Rs <3

3.  O irmão magya, Pietro, é o terceiro e ótimo motivo que a gente encontrou para grudar na cadeira e não querer levantar nem pra ir ao banheiro. Tô de Olho não curtiu muito o desfecho que deram para o boy, mas nem tudo é perfeito. Apenas!

4.  Amamos a cena em que o Hulk fica descontrolado por causa dos poderes telesinéticos da Feiticeira Escarlate e precisa ser controlado pelo Homem de Ferro. Para quem tiver um primo ou irmão menor, que adora fingir ser um vingador, aposto que a cena vai ser de uma compensação e tanta. Só conseguia me lembrar do meu sobrinho.

5. E se o assunto é o grandão verde que me rendeu até uma foto tímida na saída da sala onde o filme estava sendo exibido, só posso dizer que agora amo muito mais. Depois de assistir aos seus filmes separadamente é impossível não se apaixonar. O sentimento ganha ainda mais força quando você vê a química entre ele e a Viúva Negra.

Se rola beijo ou não, só assistindo pra saber, ok? Rs 😉

6. E por último, mas nem por isso menos importante, o Visão que foi criado por Banner e Stark, para ajudar a combater Ultron.

Agora pode falar é ou não é motivo suficiente pra correr pros cinemas. Até o fechamento desta coluna Os Vingadores 2: A Era de Ultron já era a segunda maior bilheteria de estreia da história. Pasmem!  Depois de assistirem conta aqui pra gente nos comentários o que acharam.

Xo,

Marcinho.