Sobre saber desapegar e como fazer isso!

18 julho, 2018

É tão difícil saber desapegar, não é verdade? A gente sempre acaba pensando, vai que um dia eu precise disso (pode ser de alguém, de uma peça, de um lugar). Estou passando por alguns momentos de desapego: de roupas ( toda vez que olho meu armário, pula uma peça, de tanta coisa que tem lá), de pessoas que não fazem mais sentido na minha vida ( essa é a parte mais difícil.

Essa semana passei por algumas mudanças e desapegos, seja de pessoas e roupas. Na parte das roupas, sempre foi muito fácil de doar, afinal não usava mais. O problema é que meu closet está tão minha cara (como sempre doo, deixei o que tem mais a ver comigo), que já não sei por onde começar.

Sim, vou precisar de uma ajuda profissional. Afinal TODOS os meus vestidos caem bem e tem a ver com a Manu do momento. Fiquei pensando algum tempo: dou ou não? Ahhhh mas será que eu não vou precisar disso? Com certeza vou, e deixava a peça de volta no meu armário.

A parte boa de tudo isso é perceber quando você precisa de ajuda e que talvez não vai conseguir fazer sozinha. Talvez esteja nesse momento. Estou saindo de casa! Outro desapego que está me pegando! Eu realmente tenho um apego em ficar no quarto dos meus pais quando estou com saudades, ter minhas coisas da maneira que quero e tudo no lugar. Mas sabe como é, né?

O apego é o medo do futuro. Se você parar para pensar, o apego é o passado, e como temos medo do futuro, muitas vezes queremos ficar ali parado. Pense nas roupas: a gente não usa, ou já usou há algum tempo, mas temos dificuldade de ‘deixá-las’ pelos simples fato de sentir falta delas algum dia. Isso é o medo do futuro.

Tenho lido um livro que amei: Emoções, do Osho. Ele explica sobre medo, raiva, ciúmes e outros sentimentos. E uma coisa que aprendi com esse livro é que se você observar, perceber o sentimento (SEM JULGAMENTO) você abre sua consciência. Desapegar é difícil, mas se observamos o porquê não queremos aquilo, fica mais fácil de não se apegar.

Comente no Facebook

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *